Página Interna

Projeto que determina ensino do ECA nas escolas do Ceará agora é lei

Conteúdo jurídico será levado aos jovens e adolescentes de maneira simplificada. Foto: Freepik.

A inclusão de conteúdo relativo ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) na grade curricular do ensino médio deve se tornar realidade nas escolas públicas do Ceará.

É o que propõe projeto de lei aprovado pela Assembleia Legislativa do Ceará (Alece) e sancionado pelo Governo do Estado em julho deste ano, dando origem à Lei Estadual nº 18.150/2022.

Por meio dessa lei, conforme o deputado, o conteúdo jurídico será levado aos jovens e adolescentes de maneira simplificada, inserida no currículo escolar, com linguajar acessível e de fácil entendimento.

Segundo o autor do projeto, deputado estadual Leonardo Araújo, o Estatuto da Criança e do Adolescente traz inúmeras previsões, proteções, procedimentos e condutas a serem tomadas por todos aqueles que lidam com crianças e adolescentes.

“Tais previsões são extremamente necessárias no ordenamento jurídico, uma vez que os jovens em geral precisam de uma proteção extra, para que consigam, com a maioridade, sua eventual emancipação, independência financeira e emocional”, explica.

A falta de informações sobre o ECA, por vezes, segundo o parlamentar, impede os jovens de exercerem seus direitos e garantias, colocando-os em posição de vulnerabilidade social.

“Fora do ambiente escolar, é muito difícil que os jovens tenham acesso a esse tipo de conhecimento, uma vez que doutrinas jurídicas, além de difícil acesso, possuem escrita feita praticamente para operadores do Direito”, observa Leonardo Araújo.

“Isso facilitará o aprendizado sobre os direitos e deveres, sejam eles infracionais ou não, bem como aprenderão orientações gerais sobre responsabilidades, direitos, bullying, uso de substâncias psicoativas em ambiente escolar, dentre outros temas abordados pelo Estatuto da Criança e do Adolescente”, celebra ele.

Com informações da Alece.

Topo Logo

Apoio e patrocinio