Página Interna

Estudo prevê aumento de 10 vezes no PIB de Santa Quitéria com operação da Jazida de Itataia

O estudo de impacto foi realizado pelo Observatório da Indústria, da FIEC, com o Consórcio Santa Quitéria. Foto: Divugação/FIEC.

O município cearense de Santa Quitéria, a 222 km de Fortaleza, deverá ter um Produto Interno Bruto (PIB) 9,8 vezes maior do que o registrado em 2021. Mas isso deve acontecer só quando o Projeto Santa Quitéria, também conhecido como Jazida de Itataia (CE), estiver em operação.

É o que afirma um estudo de impacto realizado pelo Observatório da Indústria, da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), em parceria com o Consórcio Santa Quitéria. Dados revelam que os valores devem sair dos atuais R$ 0,5 bi para cerca de R$ 5 bilhões.

“O trabalho desenvolvido leva em consideração todo o impacto que a economia local deverá passar, com geração de empregos diretos e indiretos, produtos e serviços que serão realizados na localidade, além da taxa tendencial de crescimento do PIB no município”, afirma Elton Freitas, gerente de produto do Observatório da Indústria.

A análise apresenta também o crescimento do PIB na fase de construção da infraestrutura, que deve durar dois anos. “Nesse primeiro momento, o impacto já é considerável, com incremento de R$ 845 milhões por ano, somado aos R$ 500 milhões já arrecadados anualmente, o que chega em torno de R$ 1,4 bilhão a cada ano, um aumento de 151%”, completa Elton.

Vale ressaltar que o PIB estimado para Santa Quitéria durante a operação do projeto ultrapassará os atuais PIBs de municípios considerados referência no estado, como Juazeiro do Norte (R$ 4,9 bi) e Sobral (R$ 4,6 bi) além de ser superior ao de municípios de outros estados como Jaú (São Paulo (R$ 4,9 bi) e Ilhéus, na Bahia (R$ 4,7 bi).

Desenvolvimento e arrecadação

Ainda segundo o estudo, uma das principais contribuições do Projeto Santa Quitéria é a geração de empregos formais diretos e indiretos. Serão criadas cerca de 8.400 vagas durante a fase de construção e 2.800 na fase de operação do complexo mineroindustrial.

Os dados ainda apontam para um acréscimo de R$ 7,4 mi na arrecadação e repasse de impostos e tributações durante a construção da mina. Já na operação, essa arrecadação duplica, chegando a mais de R$ 14 mi.

“Esses são aportes consideráveis que poderão ser reinvestidos em infraestrutura e melhorias por parte do município para os moradores de Santa Quitéria. Essa arrecadação é anual, e a operação da mina é de pelo menos 20 anos”, complementa o gerente de produto do Observatório.

O diagnóstico desenvolvido por meio da parceria entre Observatório da Indústria e o Consórcio Santa Quitéria tem como objetivo promover um crescimento estruturado para a região, identificando gargalos e caminhos para o desenvolvimento sustentável. O levantamento conta com a participação de agentes do poder público, sociedade civil e empresariado.

Com informações da FIEC.

Topo Logo

Apoio e patrocinio