Página Interna

Vannick Belchior apresenta show inédito em Fortaleza

Foto: Gabriel Pacífico

Com 25 anos de sonho e de sangue e de América do Sul, Vannick Belchior traz a herança artística e uma interpretação única e pessoal da obra do seu pai, Antônio Carlos Belchior. Ela se apresenta com o espetáculo “Das coisas que aprendi nos discos” neste domingo (22), às 18h, Cineteatro São Luiz.

Com a potência na voz e semblante semelhantes ao do cantor, Vannick mergulha num repertório de canções conhecidas nacionalmente, mas também resgata músicas desconhecidas do grande público, chamadas de “Lado B”, que dialogam com o momento atual da cantora.

“Este show vai falar do Nordeste, do homem nordestino, de uma forma bem elegante como era de propriedade do meu pai. Quero trazer isso através das músicas, como a canção “Apenas um rapaz latino americano” e de outras que falam do Nordeste e tudo que implica as desigualdades. Acho importante mostrar esse lado social”, conceitua Vannick, que assina a direção geral do espetáculo.

O espetáculo “Das coisas que aprendi nos discos” tem a direção musical de Lu D’Sosa, grande músico e produtor que traz novos arranjos para canções consagradas como “Paralelas”, “Como nossos pais” e “A palo seco”. Para Vannick, essas canções são clássicas e, se Belchior estivesse fazendo show, não permitiria que faltassem. É também uma forma de perpetuar o que o pai fazia e o que foi escrito por ele.

Os ingressos já estão à venda no valor de R$ 20,00 meia e R$ 40,00 inteira no site do Sympla (www.sympla.com.br) ou na bilheteria física do Cineteatro São Luiz, de terça a sexta, das 9h30 às 18h, e aos sábados, das 9h30 às 17h. No domingo, 2h antes do evento até o horário de início da atração.

Sobre Vannick Belchior

Caçula entre quatro irmãos, Vannick nasceu em Fortaleza no dia 24 de fevereiro de 1997 e é filha única da psicóloga Vilédia Bezerra de Souza, segunda companheira do cantor. Formada em direito, Vannick resolveu seguir carreira quando o maestro e arranjador Tarcísio Sardinha, que faleceu recentemente, a ouviu cantando numa roda de choro e disse “já sei com quem vou cantar para matar a saudade de Belchior!”.

Em agosto de 2021 começou a apresentar o show “Das coisas que aprendi nos discos”. As músicas escolhidas por Vannick Belchior para esta apresentação foram uma espécie de reencontro e reconexão com seu pai. “Interpretar a música dele é preencher alguns vazios e entender certas questões pessoais. É o novo encontro com meu pai”, comenta a cantora.

No dia 13 de outubro do ano passado, lançou o single com gravações das músicas “Divina comédia humana” e “Medo de avião”, num medley gravado em estúdio. Também já foi convidada para participar de grandes apresentações como a da banda Selvagens à Procura de Lei, do acordeonista Waldonys e do show Elas Cantam Belchior com Elba Ramalho, Amelinha e Solange Almeida.

Amadurecendo a cada apresentação, a expectativa é a de que este seja o primeiro show da sua turnê nacional e de todo o estado do Ceará. O plano da cantora é continuar explorando o repertório de Belchior, principalmente as músicas pouco conhecidas, porque para ela ainda é uma ligação muito importante. Vannick não descarta a ideia de se lançar como compositora, inclusive já tem algumas letras, e se prepara para os desafios do mundo fonográfico com o lançamento do seu primeiro álbum.

SERVIÇO:

“Das coisas que aprendi nos discos”

Data: domingo, 22/05/2022

Horário: 18h

Local: Cineteatro São Luiz

Entrada: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia entrada) | Plateias Superior e Inferior*

Classificação Indicativa: Livre | 70min

Vendas: SYMPLA – www.sympla.com.br| Bilheteria física do Cineteatro São Luiz (com funcionamento de terça a sexta, das 9h30 às 18h, e, aos sábados, das 9h30 às 17h; aos domingos, 2h antes do evento até o horário de início da atração).

Topo Logo

Apoio e patrocinio