Página Interna

Dr. Marcelo Alcantara e o dom de salvar vidas

Médico pneumologista, pesquisador na área de ventilação mecânica e entusiasta de tecnologias, o médico cearense Marcelo Alcantara revolucionou a ciência brasileira, utilizando-se da inovação para ampliar seu dom de salvar vidas.

Desde o agravamento da pandemia do novo coronavírus no País, diversos profissionais da saúde têm construído uma extraordinária força-tarefa para lidar com a demanda de atendimentos que exigiam um cuidado recorrente dos pacientes, sobretudo daqueles acometidos por complicações respiratórias. Logo, o procedimento da intubação se tornou uma alternativa iminente para salvar o máximo de vidas possíveis.

Entretanto, as etapas dolorosas que eram necessárias para o processo de intubação não facilitavam a melhoria do quadro clínico, ao contrário, instigavam uma pressão psicológica e dor emocional a médicos e familiares dos pacientes. Diante desta situação preocupante, pesquisadores cearenses se propuseram a pensar em métodos menos invasivos e que acalentassem de fato a recuperação dos doentes, ressignificando assim a maior invenção do Dr. Marcelo Alcantara: o CAPACETE ELMO.

Formação humanística

Dr Marcelo, desde a infância, foi influenciado por valores humanistas que o tornaram a pessoa que é hoje. Um grande fator para esse desenvolvimento diferenciado foi sua própria mãe, a Dra. Márcia Alcantara, renomada médica cearense especializada em estudos sobre tratamento de asma, que desde o princípio compartilhou ideias sobre valorização da ciência, empreendedorismo e culto à literatura.

“[…] Minha mãe tem uma característica inspiradora. Ela é médica e muito empreendedora na vida – sempre abraçou desafios e apostou muito na ciência, literatura e formação humanista. Isso foi muito forte na minha educação, desde criança, e portanto ainda hoje ela atua [como médica] e serve de inspiração.”, revela Marcelo.

 O Elmo e a herança de uma medicina inovadora

A história humana é cercada por ciclos, entre os quais as invenções se tornam aperfeiçoamento de grandes experimentações. Nesse tocante, a criação do ELMO se converge com o desenvolvimento da ventilação mecânica – campo de estudo que o Dr. Marcelo se debruça desde mais tenra idade. À época, o procedimento de intubação era um parâmetro médico ainda questionado, porém a ousadia em executá-lo foi capaz de salvar milhares de vidas do leste europeu.

“A história da ventilação mecânica é muita inspiradora: ela surgiu de uma pandemia como a que estamos vivendo, só que [na época] era sobre a pandemia de Poliomielite em 1952. E aconteceu uma inovação importante naquele ano que transformou a medicina. A letalidade de casos era de 90% em pacientes de Copenhagem, Dinamarca, e depois que foi feita a intubação hospitalar, os índices de mortalidade foram reduzidos a 25% na cidade”, conta o doutor, fascinado pela história.

Inspirado por esse marco histórico, ironicamente, Dr. Marcelo investiu na narrativa da criação de algo factível e mais econômico que evitasse a intubação, pois, segundo o médico, todo desconforto emocional, físico e psicológico que o processo traz já não seria mais adequado na sociedade atual em que vivemos.

“[…] A escolha era pela simplicidade se comparado a um respirador mecânico, sendo assim algo factível. Então, coloquei à mesa essa ideia para que os pacientes pudessem ser atendidos fora da UTI e preveni-los da Intubação (com a expectativa de ocorrer com sucesso em cerca de metade dos pacientes). E o elmo foi muito aceito pelos participantes e a partir dali se formou uma grande força-tarefa em cima dessa ideia”, revelou o médico, que persistiu na ideia que até então a ciência brasileira nunca havia trabalhado.

Apoio

Com sua idealização ainda na primeira semana de Abril de 2020, o projeto foi abraçado pelo Governo do Ceará, por meio da Sesa, ESP/CE e Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/Ceará), Universidade Federal do Ceará (UFC) e Universidade de Fortaleza (Unifor), com o apoio do Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH) e Esmaltec.

O ELMO, inspirado no capacete dos guerreiros da antiguidade, é feito com silicone PVC, totalmente passível a higienização e ecológico, pois sua estrutura vedada impede que o gás carbônico seja expelido no ambiente, garantindo proteção ambiental e sanitária dos médicos. Por se tratar de uma novidade, a própria Escola de Saúde Pública do Ceará capacita profissionais para garantir o funcionamento seguro do capacete.

Crédito: Divulgação/ESP-CE

“É muito gratificante ver acreditaram numa ideia concebida dessa forma e trabalhada por um grupo muito coeso, de mais de 50 pessoas envolvidas. A gente [médicos] não tem ainda um dimensionamento do alcance do projeto de inovação do elmo no sistema de saúde. Sabemos que milhares de pessoas usaram, mas não temos um número preciso. E, infelizmente, como a pandemia segue muito forte no Brasil, é provável que esse número [índice de utilização dos capacetes elmos] aumente muito. Na verdade, a gente queria tá trabalhando com um número bem menor, mas não é isso que está se apresentando por enquanto – até que a vacinação seja feita em larga escala, veremos os números baixarem e a gente poder trabalhar de uma forma mais tranquila”, enfatiza o especialista.

Simplicidade em meio ao caos

Diante de todo esse contexto de pessimismo e trabalho árduo, o Dr. Marcelo encontra afago nos tempos compartilhados com a esposa e os filhos, além de se debruçar em mais narrativas de livros e séries onde a pandemia está a anos-luz de preencher as preocupações das pessoas. E com esse sentimento, o Dr. Marcelo garante sua conexão como cearense, profissional que salva vidas e é humano através da simplicidade.

“De toda a situação difícil é mérito para uma coisa boa também. Então, é olhar para dentro, ao redor e vê que tem muita coisa boa sendo construída, apesar de todas as dificuldades. Se apegue a elas [coisas boas] e transforme a sociedade. A gente vai seguir transformando para que possamos viver mais felizes como pessoas. É viver o simples.”, confessa Marcelo.

Entrevista

Em entrevista ao Conexão 085, o Dr. Marcelo conta sobre o enfrentamento a pandemia no estado do Ceará desde sua percepção pré-pandemia, criação e execução do capacete ELMO e frutos colhidos com o equipamento médico que revolucionou a ciência brasileira e salvou milhares de vida pelo País. Marcelo também revela sobre suas inspirações pessoais e como o amor à medicina aliada a pensamento empreendedor e a formação humanística se tornaram conexão para a criação do Capacete Elmo.

Apoio e patrocinio