Página Interna

Brasil deve ter unidade da Universidade de Oxford em 2022

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, confirmou na última quarta-feira, 27, que o Brasil terá uma unidade da Universidade de Oxford destinada a novas pesquisas em saúde, desenvolvimento de vacinas, medicamentos e formação de novos pesquisadores. Trata-se de uma parceria inédita entre a pasta e a instituição britânica, uma das mais respeitadas do mundo.

O termo foi assinado na sede da universidade, no Reino Unido. Fazem parte do projeto outras instituições, como a Universidade de Siena e o Institute for Global Health, do Internacional Vaccines Institute.

De acordo com o Ministério da Saúde, será a primeira unidade da instituição educacional nas Américas.

A estrutura, que deverá ser instalada em 2022, irá conduzir pesquisas sobre vacinas, doenças raras e infecciosas, pesquisas clínicas e saúde global.

A Universidade de Oxford faz parte do consórcio com a farmacêutica AstraZeneca, que em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) produz e distribui uma das principais vacinas contra a covid-19 no Brasil, conhecida como Oxford-AstraZeneca.

Apoio e patrocinio