Página Interna

Mulher de Ferro: Conheça a história de Hedla Lopes, a primeira mulher do Norte-Nordeste a disputar os jogos Pan-Americanos

Hedla Lopes é símbolo de força e superação há muitos anos. A cearense, nascida na capital, encontrou no esporte uma forma de reerguimento em meio às dificuldades e aos preconceitos vividos como mulher nordestina. Com dedicação e perseverança, a atleta se tornou a primeira mulher do Norte e Nordeste a participar de uma edição do Jogos Pan-Americanos e a acumular mais de 22 participações no Ironman. 

Hoje, aos 62 anos de idade, Hedla se dedica a motivar outras pessoas a enxergarem o esporte como uma forma de alcançarem seus sonhos e a desenvolverem um estilo de vida saudável. Sua conexão com o esporte, o Nordeste e sua identidade como mulher a tornam uma das maiores personalidades cearenses que já existiu.

 

Quebra de paradigmas

A participação de mulheres nordestinas no esporte tem sido cada vez mais frequente nos últimos anos. Marta, Shelda Bedê, Yane Marques, Sarah Menezes são atletas que marcaram profundamente o esporte sem deixar de enaltecer suas raízes nordestinas. À época em que iniciou na natação, aos 11 anos, motivada por médicos para recuperação do quadro de escoliose, Hedla teve que enfrentar o forte preconceito transmitido por colegas de prova, treinadores e organizadores para se tornar uma atleta renomada.

 

Trajetória premiada

O esforço de Hedla como nadadora e triatleta lhe rendeu grandes frutos tanto materiais como imateriais. Em 1974, com apenas 16 anos, bateu recorde cearense nos 200 metros de nado de peito, o qual se manteve como marca imbatível por longos 30 anos – superado apenas por sua filha Vittoria Lopes. No ano seguinte, participou pela primeira vez dos Jogos Pan-Americanos, sediado no México. Sua contribuição, mesmo que sem estar presente no quadro de medalhistas, foi histórica, pois havia se tornado a primeira mulher da região a participar da competição.

Os anos seguintes continuaram sendo testemunho de seu prestígio. Em 1978, aos 20 anos, Hedla foi tri-campeã da travessia do Rio Negro – prova de natação que consiste em percorrer mais de 8 quilômetros da Travessia Almirante Tamandaré em Manaus. Já em 2003, aos 45 anos, a cearense disputou pela 1ª vez uma prova de Triathlon, modalidade única que mistura ciclismo, atletismo e natação, exigindo condicionamento físico e sanidade para se obter grandes resultados. 

Não obstante ao seu histórico de campeã, Hedla superou seus limites: aos 48 anos, foi campeã cearense de triathlon sprint e olímpico. Três anos depois, foi campeã do Ironman em Kona (Havaí), considerado uma das edições de Triathlon mais difíceis do mundo. Aos 56 anos, a cearense alcançou o 1º lugar no ranking mundial do Ironman em sua categoria.

Tamanhas conquistas a levaram ao trajeto olímpico mais uma última vez. Em 2016, Hedla esteve entre a seleta lista de cearenses que tiveram o privilégio de erguer a tocha olímpica, vinda direto de Atenas (Grécia) e agraciada pelos deuses olimpianos. 

Confira resumo de sua trajetória no esporte:

 

Sucessores

É inegável o quão valiosa e única foi a trajetória de sucesso de Hedla no esporte. Entretanto, ciclos precisam ser fechados e atletas de novas gerações obterem espaço para também construir legados tão importantes quantos os atletas do passado. Felizmente, a família Lopes continuará a expandir seu DNA vitorioso pelos próximos anos. Vittoria Lopes, no atletismo, e Luís Altemir Melo, na natação, são atualmente um dos representantes da Terra da Luz na Terra do Sol Poente para os Jogos Olímpicos em Tóquio.

 

 

Fórmula de motivação

Movida a desafios, Hedla expandiu seu legado para além do esporte. Atualmente, a cearense é proprietária de sua própria academia e transmite todo seu conhecimento, motivação e amor à atividade física para que mais pessoas possam ter sua vida transformada e impulsionada positivamente pelo esporte.

 

 

Saiba onde encontrar Hedla Lopes nas redes

Facebook e Instagram (@hedlalopestriatleta): Principais formas de comunicação, Hedla Lopes compartilha rotina, lembranças, valores, conquistas e aprendizados para fãs e futuros atletas que desejam ter o esporte como estilo de vida

 

Apoio e patrocinio