Página Interna

Dia do Empreendedorismo Feminino: Ceará tem a 2ª maior proporção de empreendedoras do país

A participação feminina no mercado de trabalho e na gestão das empresas só tem crescido. De acordo com dados do terceiro trimestre de 2020, o Brasil possui 8,6 milhões de mulheres donas de negócios. Dessas, 395.897 são cearenses, que correspondem a 5% de toda a força empreendedora feminina brasileira.

Nosso estado é o sétimo em quantidade de empreendedoras, mas, quando se considera a proporção de mulheres e homens, o Ceará tem a segunda maior participação feminina. Do total de donos de negócios cearenses, 38% são mulheres. Ficamos atrás apenas do Sergipe (39%), mas ultrapassamos o Rio de Janeiro (37%) e o Espírito Santo (37%).

As informações são do estudo Empreendedorismo Feminino no Brasil, lançado pelo Sebrae em fevereiro de 2021, com base em informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Perfil da empreendedora cearense

O levantamento do Sebrae tem o objetivo de atualizar o perfil das mulheres empreendedoras no país e sua evolução recente. Ele também traz informações importantes para que possamos entender quem são as empreendedoras cearenses e como elas trabalham.

Com relação à escolaridade, 21% das empreendedoras cearenses possuem ensino superior, e a média nacional é de 24%. As mulheres negras representam 69% do total de donas de negócios no Estado. Com relação à idade, o Ceará tem 54% das empreendedoras com até 44 anos.

Segundo o IBGE, as mulheres em geral dedicam 10,4 horas por semana a mais que os homens aos afazeres domésticos ou ao cuidado de pessoas. No nosso estado, 47% das empreendedoras são chefes de domicílio, e 40% delas trabalham mais de 40 horas no próprio negócio. Uma grande parcela dessas mulheres ganha até um salário mínimo: 76% do total.

São poucas as empreendedoras com menos de dois anos na atividade, somente 29% do total no Ceará. Com relação ao setor de atuação, as empreendedoras cearenses estão mais presentes no setor de serviços, chegando a 39% delas. Dessas, 36% estão na área de alojamento e alimentação. As empreendedoras do estado também estão nos setores de comércio (37%), indústria (20%), agropecuária (3%) e construção (0,2%).

O valor da presença feminina

Para o Sebrae, além de contribuir para o crescimento da economia e para a criação de empregos, o empreendedorismo feminino transforma também as relações sociais. Quando mulheres alcançam a autonomia financeira, não precisam mais se submeter a relacionamentos abusivos e violentos, já que não dependem mais de terceiros para se sustentar.

As lideranças femininas têm também grande potencial transformador dentro das empresas, diversificando os pontos de vista na tomada de decisões, e dando mais visibilidade para questões de gênero. Mesmo com todo o cenário positivo de crescimento, ainda existem diversos avanços a serem feitos. Alguns dos principais obstáculos que as mulheres seguem enfrentando enquanto empreendedoras são o preconceito e a dupla jornada.

Apoio e patrocinio