Página Interna

Com Fortaleza entre os principais destinos, agências apontam retomada nas viagens domésticas

Sem surpresas, o Nordeste foi líder de vendas no turismo doméstico em 2021. Foto: Jade Queiroz /MTUR.

Pesquisa aplicada em abril com 2.176 agências filiadas à Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV) apontou como característica comum na distribuição da demanda ao longo de 2021, e do primeiro trimestre de 2022, que as viagens domésticas seguem liderando a retomada do turismo.

Para 39,1% dos respondentes, as viagens domésticas representaram 60% das vendas, e para 29,2% desse mesmo universo o nacional dominou em 100% a movimentação. Sem surpresas, o Nordeste foi líder de vendas no turismo doméstico no ano passado, tendo como principais destinos Fortaleza, Maceió, Natal, Recife, Porto de Galinhas e Fernando de Noronha.

Gramado, no Rio Grande do Sul, além do Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia também foram destacados na pesquisa dentro do turismo doméstico. No recorte específico dos três primeiros meses de 2022 os mais citados foram São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Gramado, Fortaleza, Maceió, Porto de Galinhas e Salvador.

Destinos internacionais

A pesquisa demonstra, porém, que a reabertura gradativa das fronteiras e a flexibilização dos protocolos sanitários já estimularam a recuperação do internacional, e há projeções otimistas para a temporada de julho, em especial para os destinos de neve da América do Sul, e os parques temáticos nos Estados Unidos, que ganham a atenção das famílias nessa época do ano com tempo maior para viagens mais longas.

Entre os destinos internacionais mais procurados no ano passado, Europa, Estados Unidos, Argentina, Chile e o Caribe foram os mais apontados na pesquisa, resultado que se manteve muito semelhante à demanda dos três primeiros meses do ano, acrescido do México.

Expectativas para 2022

“O avanço da vacinação e o abrandamento das restrições motivada pela queda no número de internações justificam nosso otimismo para os próximos meses. Tivemos feriados prolongados seguidos, com bons níveis de movimentação, e a procura para as férias de julho deve aquecer a partir da segunda quinzena de maio”, afirma a presidente da ABAV Nacional, Magda Nassar.

Com uma recuperação de 37,6% sobre os resultados de 2020, as agências filiadas à ABAV fecharam 2021 com faturamento de R$ 19,2 bilhões. “Temos eleições e uma Copa do Mundo fechando o último trimestre do ano, mas dentro de um cenário favorável, sem sustos ou grandes oscilações de câmbio, já é possível projetar um faturamento mais próximo dos níveis pré-pandemia ao término de 2022”, conclui Nassar.

Topo Logo

Apoio e patrocinio