Página Interna

Mercado aquecido estimula novas pet shops: setor faturou R$ 40,8 bilhões no ano passado no país

Muitos lares receberam um novo filho de quatro patas para somar amor e carinho diante dos tempos difíceis. O que acabou aquecendo o setor de produtos por animais de estimação. De acordo com levantamento realizado pelo Instituto Pet Brasil, o setor faturou R$ 40,8 bilhões no ano passado no país, 15% a mais do que em 2019. 

A pandemia deu mais ênfase a um setor que já vinha em crescimento e fortaleceu a tendência de humanização dos animais, com oferta de produtos premium, como rações especiais e itens de higiene que facilitam a convivência entre humanos e os pets, além de serviços veterinários e de banho e tosa

O mercado pet é dominado por empresas de menor porte: mais de 90% são pequenas e médias. As grandes redes, que respondem por 10% do faturamento, também tiveram crescimento robusto.

Parte do crescimento do faturamento deste setor está vinculado à alta do dólar, já que a maioria dos insumos utilizados na produção de rações são commodities negociadas em preços internacionais, além de muitos produtos das categorias premium serem importados.

Uma das partes que mais ganhou espaço foi a alimentação com ingredientes naturais e sem conservantes, além de produtos com uma proposta ecológica, como areias sanitárias para gatos feitas de materiais biodegradáveis e recipientes para coleta de excrementos fabricados com materiais que se dissolvem no ambiente.

Apoio e patrocinio