Página Interna

#DiaDoNordestino: Conheça 5 nordestinos que fizeram história e levaram o Nordeste para o mundo através da arte e cultura

No dia 8 de outubro é comemorado o Dia do Nordestino. A data foi oficializada com a lei nº 14.952, de 13 de julho de 2009.
Imagina-se que a data tenha sido instituída em homenagem a Patativa do Assaré, poeta popular, compositor e cantor cearense. O nordeste é uma região rica não somente de frutos, culinária e do seu sotaque forte, mas principalmente por sua riqueza cultural e grandes nomes nordestinos que elevaram a cultura do nordeste para outro patamar. Veja 5 nomes que são a cara do nordeste e que fazem esse dia ser ainda mais especial. Viva os nordestinos, viva o nordeste. Confira:

Castro Alves
Nasceu na fazenda Cabaceiras, território pertencente à vila de Nossa Senhora da Conceição do “Curralinho”, hoje cidade de Castro Alves, no estado da Bahia.
Suas poesias mais conhecidas são marcadas pelo combate à escravidão, motivo pelo qual é conhecido como “Poeta dos Escravos”. Foi o nosso mais inspirado poeta condoreiro.
Aos 17 anos fez as primeiras poesias.

Dandara
Dandara foi uma guerreira negra do período colonial do Brasil. Após ser presa, suicidou-se se jogando de uma pedreira ao abismo em 6 de fevereiro de 1694, para não retornar à casa de seu algoz como escrava. Foi esposa de Zumbi dos Palmares e com ele teve três filhos.
Dandara dominava as artes da capoeira e além de lutar, participava de atividades cotidianas em Palmares, como a caça e a agricultura.

Chico Anysio
Francisco Anysio de Oliveira Paula Filho, conhecido como Chico Anysio, nasceu em Maranguape, no Ceará, em 12 abril de 1931.  Humorista, ator, dublador, escritor, compositor e pintor, Chico se destacou em todas as atividades que se dedicou, mas foi com o humor sofisticado e popular ao mesmo tempo que ganhou espaço no coração dos brasileiros. Na TV Rio estreou em 1957 o Noite de Gala. Em 1959, estreou o programa Só Tem Tantã, lançado por Joaquim Silvério de Castro Barbosa, mais tarde chamado de Chico Total. Além de escrever e interpretar seus próprios textos no rádio, televisão e cinema, sempre com humor fino e inteligente, Chico se aventurou com relativo destaque pelo jornalismo esportivo, teatro, literatura e pintura, além de ter composto e gravado algumas canções.

Rachel de Queiroz
A primeira mulher a possuir uma cadeira na Academia Brasileira de Letras foi Rachel de Queiroz, em 1977. Escritora, jornalista, tradutora e dramaturga, foi pioneira na literatura brasileira. Ela nasceu em Fortaleza, no Cearé, e ainda muito jovem, com apenas vinte anos, destaca-se através da publicação do romance “O Quinze”. Também a primeira a receber o prêmio Camões, o mais importante da Língua Portuguesa, em 1993.

Braúlio Bessa
Poeta cearense que vem se destacando nos últimos anos, ganhou notoriedade nacional a partir de 2014, quando começou a declamar suas poesias de cordel no Encontro com Fátima Bernardes, da TV Globo. O quadro apresentado por ele no programa se chamava “Poesia com rapadura”, nome dado, posteriormente, ao primeiro livro do autor, publicado em 2017.

Apoio e patrocinio