Página Interna

Coworkings registram alta na procura por serem uma alternativa ao home Office

Durante a pandemia da Covid-19, foi preciso que a população se adequasse às novas relações diante do distanciamento social. Escolas, empresas e convívio familiar tiveram que dar um tempo e adaptar-se às novas mudanças. No mundo empresarial, por exemplo, 46% das empresas nacionais adotaram o modelo de trabalho a distância durante a pandemia, de acordo com a pesquisa feita pela Fundação Instituto de Administração (FIA).

Agora, com o avanço da vacinação, muitas empresas estão voltando aos seus espaços físicos de trabalho. Porém, algumas decidiram aderir ao modelo híbrido de trabalho, onde uma parte da semana o trabalhador dá expediente na sede da empresa e outra parte continua em regime home office.

O fato é que muitos trabalhadores não se adequaram muito à rotina do home office por diversos motivos: seja por não conseguir se concentrar ao realizar as atividades em casa, dificuldades de se desligar totalmente do ambiente de trabalho ou até mesmo separar as atividades domésticas das profissionais.

Por isso, muitos viram o Coworking como uma boa opção para fazer seus trabalhos como se estivessem nas suas respectivas empresas. Segundo uma pesquisa realizada por uma consultoria especializada em imóveis, a JLL, os espaços de coworking devem representar 30% do mercado até 2030.

Matheus Oliveira, sócio-diretor de um Coworking exclusivo para a advocacia no Ceará, salienta que durante a pandemia tiveram um aumento na procura pelo serviço. Ele enfatiza que as pessoas tendem a procurar esses escritórios inteligentes por diversos motivos, dentre eles, o fato de terem um bom espaço para trabalhar e também pelo custo-benefício ofertado.

Coworking exclusivo para a advocacia no Ceará. Foto: Divulgação

“Quem que procura um escritório inteligente quer, acima de tudo, um espaço harmonioso para que ele consiga se concentrar nas atividades que precisa desempenhar, aumentando assim a sua produtividade. Além disso, trabalhar em um ambiente com profissionais de sua própria área facilita o networking e aumenta as chances de fazer parcerias, trocar experiências e compartilhar conhecimentos”, explica Matheus Oliveira.

Apoio e patrocinio